ADF International

Affirm Dignity | End Euthanasia

Quem tem dignidade? O que significa para nós afirmar a dignidade inerente a cada pessoa? O que significa realmente 'morrer com dignidade'?

Saiba mais sobre a crescente comunidade de pessoas que procuram Afirmar a Dignidade.

Acreditamos que todas as pessoas têm dignidade por inerência, independentemente da idade ou condição de saúde. Uma sociedade justa cuida dos seus que estão mais vulneráveis. A partir do momento em que abrimos a porta para o assassinato intencional, não há um ponto lógico de paragem. Isto não é conjetura. Em países como a Bélgica e a Holanda, os casos de eutanásia aumentaram cem vezes desde a legalização.

Aprenda

Use os nossos recursos para aprender e saber falar sobre este assunto

Empenhe-se

Seja também um signatário desta Carta.

Partilhe

Mude a paisagem. Partilhe nas redes sociais.

Affirm Dignity | End Euthanasia

Carta

O direito à vida é um direito humano fundamental e inerente, reconhecido pela Declaração Universal dos Direitos Humanos e garantido por todos os tratados de direitos humanos. Seja qual for a fase da vida ou a região do mundo, as pessoas estão cada vez mais vulneráveis ​​aos ataques a esse direito fundamental. Sem respeito pela vida humana, não pode haver respeito pela dignidade humana. Os mais vulneráveis ​​merecem o nosso amor, apoio e compaixão. Uma sociedade que se recusa a cuidar deles não é uma sociedade de progresso.

Portanto, nós:

afirmamos que o direito à vida não pode incluir o direito de morrer;

recusamos a promoção de práticas como a eutanásia ou o suicídio assistido;

consideramos qualquer suicídio uma tragédia e relembramos aos Estados a obrigação internacional de tomarem medidas para prevenir o suicídio;

denunciamos a rampa deslizante da eutanásia legalizada que resulta em pressão sobre os vulneráveis ​​à morte;

condenamos a aplicação da eutanásia a crianças, adultos vulneráveis ​​e aqueles que não deram o seu consentimento;

acreditamos que a sociedade deve aos que sofrem melhores opções do que a eutanásia, como os cuidados paliativos;

afirmamos que os cuidados paliativos são a prevenção e o alívio do sofrimento, que não aceleram nem adiam a morte (conforme definido pela Organização Mundial da Saúde);

apelamos à proibição da eutanásia e do suicídio assistido e a investimentos adicionais em alternativas compassivas que afirmem a dignidade.

    Tratamos os seus dados pessoais com cuidado e em conformidade com a lei aplicável. Visite ADFInternational.org/privacy para obter uma visão geral completa.

Documentário

Partilhar

Mude a paisagem | Partilhe nas redes sociais

ADFI Infobox Images Portugese 02
Nos últimos 20 anos, o número de mortes assistidas no Oregon cresceu 1000%. Onde quer que a eutanásia tenha sido legalizada, fica fora de controlo.
ADFI Infobox Images Portugese 03
Os médicos opõem-se à eutanásia porque isso prejudica a confiança nas relações médico-paciente.
ADFI Infobox Images Portugese 04
Permitir que médicos prescrevam drogas mortais para acelerar a morte de uma pessoa é uma violação da dignidade da pessoa humana
ADFI Infobox Images Portugese 05
O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos decidiu repetidamente que o “direito de morrer” não existe.
ADFI Infobox Images Portugese 06
Em 2017, 19% da eutanásia realizada na Bélgica aconteceu em pacientes com sintomas próprios do envelhecimento.
ADFI Infobox Images Portugese 07
No Canadá eutanasia-se uma pessoa a cada 3 horas e 24 minutos.
ADFI Infobox Images Portugese 08
Na Bélgica uma pessoa é eutanasiada a cada 4 horas
ADFI Infobox Images Portugese 09
Na Holanda uma pessoa é eutanasiada a cada 80 minutos
ADFI Infobox Images Portugese 10
A criança mais jovem eutanasiada na Bélgica tinha 9 anos
ADFI Infobox Images Portugese 11
A eutanásia não é um ato médico
ADFI Infobox Images Portugese 12
Não há limite inferior de idade para a eutanásia na Bélgica.
ADFI Infobox Images Portugese 13
No Oregon, a solidão é registada como um fator importante na escolha da eutanásia. Devemos cuidar dos nossos que estão mais vulneráveis.
ADFI Infobox Images Portugese 14
Na Suíça, uma mulher pagou 10.000 euros para morrer porque já não se sentia bonita.
ADFI Infobox Images Portugese 15
Na Bélgica, a criança mais nova que foi eutanasiada tinha 9 anos. A lei permite crianças ainda mais novas.
ADFI Infobox Images Portugese 16
Os cuidados paliativos melhoram a qualidade de vida dos pacientes e proporcionam alívio da dor e do sofrimento.
ADFI Infobox Images Portugese 17
75% das pessoas que morreram por suicídio assistido no Oregon concordaram que a sua dor estava sob controlo.
ADFI Infobox Images Portugese 18
A eutanásia termina intencionalmente a vida. Os cuidados paliativos melhoram a qualidade de vida.
ADFI Infobox Images Portugese 19
Os fracos, os que sofrem, os doentes e os idosos precisam do nosso amor, do nosso apoio e da nossa compaixão.
ADFI Infobox Images Portugese 20
As reivindicações de uma minoria muito pequena e determinada que desejam morrer retiram a liberdade das pessoas vulneráveis que desejam viver.
ADFI Infobox Images Portugese 21
Na Bélgica, a proporção de eutanásia administrada a pacientes não terminais mais que duplicou.
ADFI Infobox Images Portugese 22
Não há nada de progressivo numa sociedade que se recusa a cuidar dos seus membros mais vulneráveis.
ADFI Infobox Images Portugese 23
Deveríamos dar às pessoas uma razão para viver, em vez de as tratar como um fardo para a sociedade.
ADFI Infobox Images Portugese 24
Os estudos em Washington e no Oregon mostram que a maioria dos pacientes escolhe o suicídio assistido porque tem medo de perder o controlo sobre a sua própria vida.
ADFI Infobox Images Portugese 25
Esforçamo-nos ao máximo para desencorajar o suicídio. Como podemos então aprovar uma lei que incentive o suicídio nas mãos de um médico?
ADFI Infobox Images Portugese 26
Como podemos distinguir entre a pessoa que tentamos dissuadir de saltar da ponte e a pessoa que recebe uma injeção letal do médico? #AffirmDignity
ADFI Infobox Images Portugese 27
Na Holanda, foram relatados 2.220 suicídios e 6.091 casos de eutanásia em 2016. Como pode uma sociedade impedir o suicídio quando permite a eutanásia? #AffirmDignity
ADFI Infobox Images Portugese 28
Como sociedade, esforçamo-nos ao máximo para impedir as pessoas de cometerem suicídio e, no entanto, aprovamos leis que incentivam o suicídio assistido. Onde é que isso termina? #AffirmDignity
ADFI Infobox Images Portugese 29
Na Bélgica, 69% dos casos de eutanásia foram realizados menos de um mês após o pedido. Leva mais tempo a devolver uma compra a uma loja do que a reconsiderar a morte. #AffirmDignity
ADFI Infobox Images Portugese 30
A Bélgica legalizou a eutanásia para os doentes e agora permite o assassinato intencional de crianças. Onde é que isto pára? #AffirmDignity
ADFI Infobox Images Portugese 31
Sugerir a alguém que se mate equivale a abuso. #AffirmDignity
ADFI Infobox Images Portugese 32
A triste realidade é que a legalização da eutanásia cria a sua própria procura. #AffirmDignity
ADFI Infobox Images Portugese 33
A eutanásia voluntária leva inevitavelmente à eutanásia involuntária. Um “direito de morrer” rapidamente se transforma no dever de morrer. #AffirmDignity
ADFI Infobox Images Portugese 34
Na Bélgica, em 2016, houve 2.384 suicídios e 2.028 pessoas morreram por eutanásia. Como pode uma sociedade solidária impedir o suicídio e ainda permitir a eutanásia? #AffirmDignity
ADFI Infobox Images Portugese 35
Instamos o governo belga a reconsiderar a sua recente decisão de permitir a eutanásia de crianças. #AffirmDignity
ADFI Infobox Images Portugese 36
O número de pessoas que estão sendo eutanasiadas e as condições que se “qualificam” para a eutanásia aumentam a cada ano em todos os países que legalizaram a eutanásia. #AffirmDignity
ADFI Infobox Images Portugese 01
Como podem os pacientes confiar no médico para lhes oferecer o melhor tratamento quando a eutanásia é considerada uma opção ‘válida’?

Assinar a Nossa Newsletter

    Tratamos os seus dados pessoais com cuidado e em conformidade com a lei aplicável. Visite ADFInternational.org/privacy para obter uma visão geral completa.
arrow-circle-up Top

Faith-based legal advocacy organization that protects fundamental freedoms and promotes the inherent dignity of all people.